Agenda semanal

  • Círculo Feminino

    Apresentação: Sendo um círculo, trata-se de um espaço de partilha de conhecimentos, debate de ideias, discussão e construção colaborativa do conhecimento entre todas as participantes. Não há prazos. O círculo permanecerá aberto. Este Círculo é visível para visitantes, mas a participação nos fóruns de discussão do círculo só pode ser feita após inscrição.

    Inscrição: enviar os seguintes dados: Nome, e-mail, Localidade, Nome de utilizador que pretende (com letras minúsculas e sem espaços) para:sapato43.ac@gmail.com e posteriormente, ser-lhe-á enviado uma palavra passe de acesso ao círculo.

    Após inscrição, para iniciar-se à plataforma moodle, veja este tutorial de ajuda para criar o seu perfil na plataforma*:

    tutorial-01 from Sapato43 on Vimeo.

    Funcionamento do círculo:

    - cada participante pode se apresentar no Fórum de apresentação das/os participantes.

    - cada participante pode interagir em qualquer um ou vários módulos propostos. Todas/os as/os participantes podem propor temas no Fórum de propostas para um novo módulo, fórum, discussão, etc. e coordenar o tema proposto. 

    *Brevemente uns workshops presenciais, ligados ao curso livre intitulado «A plataforma Moodle para participação nos círculos», serão organizados no Porto, para iniciação à plataforma Moodle.

  • Olympe de Gouges

    Marie-Olympe-de-GougesMarie-Olympe de Gouges, pastel, col. particular, atribuído a Alexander Kucharsky [Domínio Público], via Wikimedia Commons

    Olympe de Gouges -  uma mulher francesa escritora, activista, condenada à guilhotina por ter denunciado as derivas da Revolução francesa de 1789. Foi das primeiras mulheres a reclamar a igualdade de direitos para todas as pessoas discriminadas, exploradas e oprimidas. Foi precursora e pioneira na reflexão feminina sobre os direitos da mulher, questionando a instituição do casamento, a responsabilidade civil, o direito ao divórcio, o direito à herança e à tomada de decisões sendo que «se a mulher tem o direito de subir ao cadafalso, também deve ter o direito a subir à tribuna».

    Teoria e prática estavam intimamente unidas no percurso de vida desta mulher que condenou qualquer forma de corrupção ou de desvio ideológico.  Defendeu a abolição da escravatura,   a abolição da pena de morte e o fim de todo o tipo de opressão. Propôs estabelecer novas relações entre sexos, preconizou a feminização dos nomes de ofícios e imaginou numerosas reformas sociais, como a criação de uma assistência social para as viúvas, órfãos e idosos; a criação de estruturas de saúde para as grávidas; a criação de estruturas para os operários desempregados.

    Sofreu as consequências de uma sociedade dirigida por homens que a condenou à morte. As suas últimas palavras ao subir ao cadafalso terão sido: «Filhos da Pátria vingareis a minha morte!»

  • Cinema e Mulheres

    Numa entrevista para a «História do Cinema. Uma epopeia» de Mark Cousins, Jane Campion diz-nos que, apesar das mulheres representarem cerca de metade da população mundial, apenas 3% são realizadoras. Não sei onde verificar este número, mas vindo de Campion parece-me fiável. É uma questão inquietante que nos deveria levar a reler «A room of one's own» de Virginia Woolf...

    Este módulo surgiu por causa do ciclo de cinema, intitulado «Cinema e Mulheres» que decorreu na Casa Viva em Janeiro 2014 e no Gato Vadio em Abril 2014. Partindo deste ciclo, mas sem se limitar aos filmes propostos, este fórum de discussão procura envolver a comunidade na partilha de reflexões, pensamentos, sugestões, apontamentos soltos sobre cinema e mulheres.